1970-1990

26 Outubro 2017

Veio o ano de 1971, o ano áureo do clube, que havia no entanto de ficar também lamentavelmente ensombrado pela primeira grande saída, Chana é contratado pelo Sporting sendo seguido por muitos outros durante os anos de 1971-1979, seduzidos por melhores condições económicas, nem sempre conseguidas. A Salesiana não tinha condições económicas para pagar aos jogadores, sendo que jogavam por amor à camisola. Durante a década de Setenta são vários os títulos conquistados nas camadas mais jovens e as deslocações ao estrangeiro. Começam a surgir dentro da Salesiana secções de Futebol e Ténis de Mesa federadas mas que durariam pouco tempo, sendo que no final da década surge a secção de Andebol federada e as corridas em patins.

O Andebol na Juventude Salesiana surge da carolice de cinco miúdos com idades compreendidas entre os 15 e os 16 anos que, motivados pelo Andebol das aulas de Educação Física, resolveram criar uma equipa para disputar o torneio inter-escolas e alguns jogos com equipas federadas. Eram eles o Pedro Marques, João Marques, Alfredo França e os Manos Gil. No dia 6 de Janeiro de 1976, forma-se assim uma primeira equipa, e na época seguinte, 1976/77, já a AJS se encontra filiada na Federação Portuguesa de Andebol de Lisboa. Foi longa a lista de êxitos que o Andebol conquistou incluindo vários campeonatos e algumas internacionalizações, em 1985 metade dos jogadores de Andebol da Selecção Nacional eram jogadores da AJS.

Em 1963 a Juventude Salesiana estreou-se nas corridas em Patins, por ocasião do vigésimo aniversário da Associação de Patinagem de Lisboa. Artur Agostinho, Coelho, Telmo, João Duarte, Festas, Espadinha e Ramalhinho, jovens hoquistas ainda, ficam classificados nos primeiros lugares da prova comemorativa. Muitas outras vitórias se juntaram principalmente na prova anual organizada pela Sociedade Estoril Sol em redor do Casino. Entre 1977 e 1982 não se participou em nenhuma corrida, voltado ás competições em 1982, continuando a AJS a ter várias vitórias, entre elas, Campeões Nacionais, Regionais e de Jovens. A participação nesta modalidade alçancou o ponto mais alto com a participação em Itália e França, dos nossos rapazes, sendo o destaque para o Alexandre Silva (recordista dos 200m, 3000m e 5000m), Luis Mota (o mais veloz atleta Português desse tempo, recordista nacional dos 300m e 1500m, e ainda Carlos Mota, José Carlos e Paulo Nunes. Nas escolas os patinadores da AJS foram considerados no seu tempo os melhores a nível nacional, tendo vencido por equipas todas as provas em participaram. A destacar, António Nunes, Luís Barata, Nuno Freitas e Pedro Ramos.

Na Juventude Salesiana ainda houve uma sessão de Patinagem Artistica nos anos 80, tendo o expoente máximo com dois belíssimos festivais em 1981, acabando pouco depois.

O problema com o transporte dos atletas para os jogos foi resolvido com a cedência pela Escola de uma carrinha Ford e com a oferta de dois autocarros usados, pela Força Aérea e pela Carris, sendo comprado mais uma carrinha pela AJS, que durante anos prestaram a sua valorosa contribuição. O financiamento era efectuado pelos donativos dos mecenas amigos, venda de rifas, exploração do Bar, subsídios das autoridades e sempre com a colaboração da Escola no pagamento das despesas com água, electricidade e gás.

Em 1980 a AJS fez todos os possíveis para dar início a uma nova época com uma equipa válida para discutir os primeiros lugares do Campeonato da 2ª divisão, mas não passando das intenções, pois todos os jogadores, incluindo os reservas mudaram para clubes onde eram remunerados, deste modo a primeira metade dos anos oitenta são passados sem Seniores, sendo a formação o único objectivo da Salesiana. No ano de 1982 é o ano de Portugal organizar o Campeonato Mundial de Hóquei em Patins, vencendo o mesmo, com uma equipa onde metade dos atletas são “nascidos e feitos” na Juventude Salesiana. Os seguintes atletas Salesianos foram internacionais: José Ramalhinho, José Vergílio, Ramos, Manuel Bravo, João M. Duarte, Manuel Pereira (actual treinador do Escalão de Escolares), Vítor Carvalho (Chana), Artur Agostinho, Fernando Pereira, António Crispim,João Sobrinho, Artur Baleizão, Rui Rosa, Manuel de Almeida, AntónioTomás (Piruças), Carlos Cruz, Santos (Picas), António Martinho, F. Jorge Costa, Joaquim Coelho e José Leste. No ano de 1983 no Mundialito da modalidade de hóquei realizado no Chile dos 12 atletas que integravam a Selecção Nacional, 8 eram Salesianos, tendo esta Selecção chegado à vitória. Em 1985 a Salesiana tenta voltar aos Seniores mas devido a problemas com os valores das inscricões de antigos jogadores não passa da fase de projecto, continuando com cerca de duzentos e cinquenta atletas o seu trabalho, distribuidos pelas categorias de 1º e 2º Escalões de Escolas, Infantis, Iniciados, Juvenis e Juniores e a partir de 1986 também de Veteranos. Em Dezembro de 1985 o Padre Miguel recebe a Medalha de Mérito Municipal, concedida pela Câmara Municipal de Cascais, sendo que pela ocasião dos 25 anos da Salesiana a Federação Portuguesa de Patinagem atribui a Medalha de Bons Serviços. Nesta comemoração incluiram-se jogos com a equipa de Veteranos, uma exposição de desenho alusiva às bodas de prata da Salesiana, um jantar comemorativo, um Torneio Internacional de Juniores com a participação de quatro equipas, F.C. Porto, S.L. Benfica, Ruan de Madrid e Salesiana e ainda um Torneio de Escolas e Inter-turmas integrados no “Festival da Paz ESSA/86”, torneio que mobilizou todos os alunos da Escola.

O Andebol nesta altura com cerca de 10 anos de actividade na AJS, movimenta em 1985/86, cento e vinte atletas, distribuídos por cinco equipas: Infantis, Iniciados, Juvenis, Juniores e Seniores, sendo o maior núcleo de Andebol do Concelho de Cascais. Em relação ás corridas em patins, a Salesiana desde o inicio da modalidade conquista vários títulos, sendo que em 1984 metade dos atletas da Selecção Nacional, eram atletas formados na AJS.

Época de 1987/88 os Seniores voltavam com toda a vontade dispostos a voltar ao convivio dos grandes, começando a época com uma vitória no torneio da II Divisão jogado em casa e derrotando o Oeiras em jogo emotivo, na altura o Pe Miguel afirmou que ” Depois de oito anos de interregno, voltar ao hóquei em patins, uma modalidade de que eu gosto muito, foi para mim uma grande alegria. … Hoje regressamos em beleza e agora, na II Divisão vamos trabalhar, para tentar o regresso à I Divisão.